CAMPEONATO BRASILEIRO MASTER
REGULAMENTO

Artigo 1º - Atendendo o disposto nas NORMAS GERAIS PARA EVENTOS NACIONAIS da Confederação Brasileira de Judô, em seu no Artigo 7º, Parágrafo único, através do presente REGULAMENTO ESPECÍFICO ficam estabelecidas as normas para o Campeonato Brasileiro Master.

Artigo 2º - O Campeonato Brasileiro Master será disputado, individualmente, nas seguintes classes de idade e categorias de peso corporal, constantes da Tabela abaixo.

MASCULINO

Classe

Idade anos

Ano nascimento

Categoria

Peso corporal (kg)

M 1

30 a 34

1974-1970

Ligeiro

Até 60

M 2

35 a 39

1969-1965

Meio-leve

60 a 66

M 3

40 a 44

1964-1960

Leve

66 a 73

M 4

45 a 49

1959-1954

Meio-médio

73 a 81

M 5

50 a 54

1954-1950

Médio

81 a 90

M 6

+ 55

1949 e anteriores

Meio-pesado

90 a 100

Pesado

+ de 100

FEMININO

Classe

Idade anos

Ano nascimento

Categoria

Peso corporal (kg)

F 1

30 a 34

1974-1970

Ligeiro

Até 48

F 2

35 a 39

1969-1965

Meio-leve

48 a 52

F 3

40 a 44

1964-1960

Leve

52 a 57

F 4

45 a 49

1959-1955

Meio-médio

57 a 63

F 5

50 a 54

1954-1950

Médio

63 a 70

F 6

+ de 55

1949 e anteriores

Meio-pesado

70 a 78

Pesado

+ de 78

Artigo 3º - Adicionalmente, poderá haver disputas por equipes formadas entre atletas de uma mesma mesma Federação e que tenham participado da competição individual.

Parágrafo único - A disputa por equipes só ocorrerá se houver, no mínimo, a participação de representações de 03 (três) Federações.

DAS INSCRIÇÕES

Artigo 4º - Para participar do Campeonato Brasileiro Master a Federação deverá satisfazer as seguintes condições:

  1. confirmar a participação na Confederação Brasileira de Judô e na Federação organizadora, com antecedência prevista em circular;

b) encaminhar à Confederação Brasileira de Judô e à Federação organizadora a inscrição de seus atletas e dos membros da Delegação, com antecedência mínima de 10 (dez) dias do evento;

c) apresentar a carteira de identificação da Confederação Brasileira de Judô ou de sua Federação, constando estar com a anuidade em dia;

d) não estar cumprindo punição;

e) apresentar a FICHA DE INSCRIÇÃO totalmente preenchida;

f) apresentar o ATESTADO MÉDICO individual ou coletivo, em que conste estarem os atletas em pleno gozo de suas faculdades físicas e mentais e em condições de participar do evento;

g) cada Federação poderá inscrever qualquer número de atletas, em cada categoria de peso e classe, de acordo com a Tabela no Artigo 2º, do presente Regulamento;

h) cada Federação poderá inscrever uma equipe com atletas que tenham participado da competição individual, excetuando-se a Federação anfitriã, que tem o direito de inscrever duas equipes.

DA PESAGEM

Artigo 5º - A pesagem dos atletas será efetuada em local e hora determinada, de acordo com a programação da Federação sede do Campeonato Brasileiro, no máximo com 24 (vinte e quatro) horas e, no mínimo, com 02 (duas) horas de antecedência da prevista para o início da competição.

Parágrafo único - Uma hora antes do início da pesagem oficial deverá estar instalada uma balança à disposição dos atletas, para a pesagem livre.

Artigo 6º - O atleta será pesado com o corpo nu ou de roupa íntima.

Parágrafo 1º - A responsabilidade da pesagem será de uma Comissão Especial, composta de três membros, designados no Congresso Técnico por indicação do Diretor Técnico designado ou seu representante legal.

Parágrafo 2º - A pesagem do atleta será apenas para confirmar o peso, sendo eliminado automaticamente, do Campeonato o atleta que não estiver dentro do limite estabelecido na tabela de categorias.

Parágrafo 3º - No ato da pesagem, o atleta deverá apresentar sua Carteira de Identificação da C.B.J. ou da Federação, com a respectiva cédula de identidade.

DO CONGRESSO TÉCNICO

Artigo 7º - O Congresso Técnico será realizado depois do Congresso de Abertura, em dia, local e horário determinado na programação do evento.

Artigo 8º - Será permitida, apenas, a presença dos representantes de cada Federação participante do Campeonato no Congresso Técnico, sendo realizado com qualquer número de delegados presentes, no horário estabelecido.

Artigo 9º - No Congresso Técnico serão discutidos os seguintes itens:

a) identificação dos Delegados;

b) confirmação das inscrições;

c) sorteio das chaves;

d) outros assuntos de interesse do evento;

DO SISTEMA DE APURAÇÃO DA COMPETIÇÃO INDIVIDUAL

Artigo 10 - Quando o número de competidores, na categoria de peso, for inferior a 04 (quatro), o sistema de apuração será o rodízio (um contra todos), fazendo-se sorteio para efeito de numeração dos atletas na súmula correspondente.

Parágrafo 1º - Após a contagem de pontos, os atletas serão classificados levando-se em consideração o resultado do confronto direto, para o desempate entre os dois competidores.

Parágrafo 2º - Havendo empate entre 3 ou mais atletas e não for possível definir os desempate pelo confronto direto, estes farão o confronto entre si novamente.

Artigo 11 - Quando o número de competidores, em cada categoria de peso, for igual ou superior a 05 (cinco), a apuração será feita pelo sistema de chave olímpica.

DO SISTEMA PARA A COMPETIÇÃO POR EQUIPES

Artigo 12 - As equipes serão compostas de no máximo de 05 (cinco) titulares e 02 (dois) reservas e no mínimo de 03 (três) atletas titulares, sem distinção de pesos ou de graduação.

Parágrafo único - O técnico responsável deverá estabelecer a ordem das lutas e a cada confronto da equipe poderá apresentar uma nova escalação, na mesa de controle.

Artigo 13 - O atleta que competir na ordem errada perderá esse confronto e será considerada a vitória por Ippon do competidor adversário. Entretanto, esse mesmo atleta poderá competir na sua ordem correta, quando ainda não for realizado o combate.

Artigo 14 - Ausência de atleta na ordem estabelecida, será considerada vitória por Ippon à equipe adversária.

Artigo 15 - O Árbitro anunciará o resultado de Hikiwake no confrontos dos atletas quando, esgotado o tempo regulamentar de luta, o placar apresentar a mesma pontuação para os dois competidores.

Artigo 16 - Será considerada vencedora a equipe que conquistar o maior número de vitórias.

Parágrafo 1º - Se houver empate, será considerada vencedora a equipe que tiver maior número de vitórias por Ippon e, sucessivamente, por wazari ou yuko.

Parágrafo 2º - E se ainda persistir o empate, haverá novo combate entre os representantes de cada equipe, para o desempate e desta vez os árbitros decidirão por hantei, em caso de igualdade dos placares. Se houver mais de um combate empatado, deverá haver sorteio.

Artigo 17 - Após realização da quantidade de combates suficiente para definir uma equipe vencedora, deverá ser encerrado o confronto.

Artigo 18 - O atleta que não participar do cumprimento junto com sua equipe, ficará impedido de competir no confronto.

Artigo 19 - A competição por equipes obedecerá ao sistema de chave olímpica e será apurada a classificação da Campeã, da Vice-campeã e das duas Terceiras colocadas.

Artigo 20 - Será permitida a presença de um técnico, com registro do CREF, credenciado e inscrito na ficha de inscrição da equipe , que poderá ficar sentado junto à área de competição para orientar os atletas.

TEMPO DE LUTA

Artigo 21 - O tempo de luta será de 03 (três) minutos na competição individual e por equipes.

CLASSIFICAÇÃO GERAL DAS FEDERAÇÕES

Artigo 22 - Será considerada apenas a melhor classificação de um atleta de cada Federação, em cada categoria de peso, de sua respectiva classe.

Artigo 23 - Para a classificação Geral, serão somados os títulos de Campeão das categorias de peso.

Parágrafo 1º - Caso duas ou mais Federações obtenham o mesmo numero de Campeões, será considerada, melhor classificada a Federação que obtiver maior número de Vice- campeões e de Terceiros lugares, sucessivamente;

Parágrafo 2º - Persistindo o empate, será apurada através da classificação por equipes.

DA PREMIAÇÃO

Artigo 24 - Os atletas classificados em Primeiro, Segundo e os dois Terceiros lugares, na competição individual, receberão o medalhão e o diploma correspondente.

Artigo 25 - Os atletas das equipes classificadas em Primeiro, Segundo e Terceiros lugares receberão o medalhão.

Artigo 26 - As equipes classificadas em Primeiro, Segundo e Terceiros lugares receberão troféu e diploma correspondente ao título obtido.

Artigo 27 - Na Classificação Geral, as Federações que obtiverem as 05 (cinco) maiores pontuações receberão o troféu e diploma do seu título.

Artigo 28 - Todos os participantes receberão diploma de participação.

DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 29 - O atleta deverá apresentar-se para a competição uniformizado de acordo com as normas e regulamentos da Federação Internacional de Judô (FIJ) e Confederação Brasileira de Judô, considerando as medidas oficiais, com dois judoguis, um branco e outro azul.

Parágrafo único - Para o Cerimonial de Abertura será obrigatório o uso de judogui branco.

Artigo 30 - Salvo as disposições em contrário, aplicam-se todas as regras estabelecidas nas NORMAS GERAIS PARA OS EVENTOS NACIONAIS da Confederação Brasileira de Judô, em vigor.

Aprovado em: 26/abril/2004.

Paulo Wanderley Teixeira
Presidente da Confederação Brasileira de Judô


 

FPJ - Rua Airosa Galvão, 45 - Bairro Água Branca - CEP 05002070 - São Paulo - SP. - Fone / Fax: (11) 3862-0749 - 3673-0497

CAT - Centro de Aperfeiçoamento Técnico da FPJ R. Airosa Galvão, 45 - Água Branca - SP/Capital - Fone: (11) 3672-5649

© FPJ - Federação Paulista de Judô - Todos os direitos reservados

Designed by Maxdesign