FPJ - FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ
ARTIGOS
Doping
 

Introdução

O tema de Coubertin, "O essencial é competir", não é hoje tão relevante na sociedade que racionaliza todos os esforços na "busca do ouro", ou seja, a vitória.

"Os esteróides constituem crescente ameaça à nossa saúde e segurança social."

As drogas e outras terapias ilegais, para se ter vantagem nas competições, assolam muitos países. Cada qual tentando suplantar o outro, sem parar de aplicar drogas em seus atletas. O atleta, pela tremenda pressão, usa os meios ilegais e legais para manter a boa forma física e psíquica.

Na olimpiada de 1988 foram descobertos precisamente 10 casos de doping.

A política e o direito são os fatores que refletem a atual sociedade humana e destrói o "espírito olímpico"

No torneio de pista de campo Classe Mundial, em Zurique, na Suiça, em 1987, metade dos 28 atletas escalados para participar nas competições de força, lançamento de peso, de martelo, de dardo e disco faltaram, após tomarem conhecimento da realização obrigatória dos testes para esteróides.

Em Caracas, na Venezuela, em 1983, 15 atletas foram impedidos de participar devido aos esteróides. A Olimpíada de 1984 é a dos vexames, pela cassação das medalhas. Mais de 20 jogadores de futebol americano de diversas temporadas foram impedidos de jogar: 75% a 90% de todos os atletas usavam esteróides. É uma proporção epidêmica. Um problema social é o brincar com "dinamite".

 

Histórico

A suspeita do uso de drogas nos esportes aconteceu após a Segunda Guerra Mundial, em nível de a Olimpíada de Los Angeles, nos Estados Unidos, ficar conhecida com "Olimpíada da Farmacologia".

Os antigos jogos olímpicos foram extintos no quarto século da Era Cristã, devido à influência de políticos e ricos egoístas que introduziram a corrupção, até que o imperador Teodósio os abolisse.

A profecia do apóstolo Paulo, na Bíblia, sobre os iníquos, caracterizou: "Os homens serão amantes de si mesmos. Amantes do dinheiro. Desleais não terão autodomínio, serão ferozes e não terão amor à bondade. Serão traidores, enfunados de orgulho, amantes dos prazeres. Os homens iníquos e os impostores passarão de mal a pior"(2 Timóteo 3:1-5) É o que ocorre nos esportes.

 

Substâncias

Analgésicos narcóticos: - São usados para obolir a dor e induzir a calma

Betabloqueadores:-Para reduzir os batimentos cardíacos e acalmar o corpo.

Aplicados nos arqueiros e competidores de tiro ao alvo.

Diuréticos:- Para perda rápida de peso e mascarar a presença de outras substâncias proibidas na hora em que são feitos os exames antidoping.O Comitê Olimpíco Internacional (COI) estabeleceu uma lista com cerca de 100 substâncias proibidas. O fato é que, assim que uma delas é proscrita ou desenvolvem-se métodos para detectar sua presença, químicos põem-se a trabalhar para produzir outras. Como o gás hélio, que alguns nadadores enchem seus intestinos.

 

Transfusões de sangue:- Para melhorar o fluxo do oxigênio

Gravidez:- Por provocar aumento do volume sanguíneo e, assim, aumentar o transporte de oxigênio aos músculos. Em alguns esportes dos quais se exige grande força fisíca têm se aproveitado dos estágios iniciais da gravidez para melhorar o desempenho dos atletas. Após os jogos, elas abortam.

Esteróides:- Influem na produção de aminoácidos, aumentando a massa e a força muscular, assim como a agressividade. Todos os recordes mundiais de levantamento de peso dos últimos 10 anos podem ter sido atríbuidos aos esteróides.

Estimulantes:- Como a cafeína e estricnina, são usados para aumentar o estsao de alerta e retardar a fadiga dos atletas.

Os testes antidoping são feitos para proteger o espírito limpo do jogo nas Olímpiadas e também para a proteção dos atletas.

Na bioengenharia, fabricando atletas mais rápidos, fortes e maiores, em bolha, o "atalho"  pode ser fatal.

Drogas "doping"- o "segundo fôlego".


Anfetaminas:- Estas, incluindo a metedrina (speed), o metilfenidato e fenmetrazina, produzem em seu quadro clínico de intoxicação: sudorese, taquicardia, hipertensão arterial,midríse (dilatação pupila olho) e hiperexcitabilidade cerebral. Sua tolerância é rápida e o aumento de dosagem leva à ideação paranóica estereotípica e bruxismo. Uma pequena quantidade de estimulante suave, como o café, é possivel trazer sintomas paranóicos e alucinações auditivas.

Cocaína:- É extraída das sementes, folhas, pasta a base livre das folhas de coca. A base é o extrato não refinado, que contém impurezas e cerca de 50% de sulfato de cocaína. A cocaína HCL é o sal. O mais utilizado, embora a base livre seja mais pura e mais forte, é o crack. Pode ser aspirada, fumada ou injetada intravenosamente, sendo que as formas de uso aspirada e fumada produzem um rush (vermelhidão facial) com maior euforia, porém com toxidez maior. Esta euforia (high) ou aumento de energia é duradora, daí a condução à forte dependência, com sintomatologia de paranóia, com delírios de parasitose e micropsia (miniaturização de percepções). O álcool, a maconha e o ópio, usados conjuntamente, diminuem alguns dos efeitos desagradáveis. A mistura de cocaína com heroína dá o efeito speedboll. É a combinação favorita de alguns "atletas". Outros preferem a combinação de cocaína base livre colombiana com heroína afegã.

A superdosagem provoca parada cardíaca, hiperpirexia fatal e angina de peito, até infarto do miocardio, além de vasoconstricção pulmonar grave, às vezes, irreversiveis. Deficiência de vitaminas B e C, devida à alta produção de ATP(adenosina trifosfato) e défict de pseudocolinesterase ( enzima que faz ponte entre os nervos) Os médicos do esporte estão hoje muito atentos aos atletas com inexplicáveis hemorragias nasais, dores de cabeça, fatiga, insônia e depressão, além da rouquidão crônica.

A supressão da droga acarreta insônia, hiperfagia, astenia motora (fraqueza muscular)intensa e tendência suicidas por várias semanas. A bromocriptina 1 mg, três vezes ao dia, via oral, na grande maioria dos casos, alivia a síndrome de abstinência, pporém há forte tendência a recaídas.

Cafeína:- Cinco bilhões de kg de café, que é a fruta mais rica em cafeína, são consumidos anualmente no mundo. O conteúdo de cafeína em uma xícara de 180 ml para infusão é de 140 mg. Os analgésicos comuns tem 30 mg por unidade.

Os sintomas: ansiedade, agitação, efeito de "eletricidade"e sintomas relativos ao coração, trato gastrointestinal, além de precipitação  de sintomas em esquizofrênicos e psicose maníaco-depressiva. A supressão pode produzir cefaléias, irritabilidade e naúseas.

Fenilpropanolamina e anti-histamínicos:- Oferecidos no comércio farmacêutico como descongestionante, são um forte estimulante, com vários efeitos colaterais como ansiedade, alucinações visuais e auditivas, paranóias e delirium, agressividade e alterações do sono.

Os anti-histamínicos produzem depressão do sistema nervoso central e são usados como sedativos. A tontura se torna um problema e a intoxicação produz excitação. Misturado ao álcool exacerba  o efeito do sistema nervoso central.

O abuso dos laxativos produz distúrbios eletrolíticos que produzem a síndrome cerebral orgânica.

O nitrito de amila tem sido usado nos ultimos anos como expansor do organismo com alterações da percepção temporal, por causa das alterações referentes aos efeitos de sua inalação. A tolerância é rápida.

Solventes:- Gasolina, Cola de sapateiro, Éter, Loló, Fluidos de isqueiro, Thiner, Acetona.

Há um estado e euforia, fala ininteligíveis e confusão com insconsciência e depressão com falha respiratória, hepatomegalias(aumento do fígado), depressão de medula e uropatias(doenças das vias urinarias). A encefalopatia púmblea associa-se à inalação de gasolina, fadiga, ansiedade e dificuldade de memória.

"Designer drugs"- São à base de metil, análogo de fentanil, substitutivo da heroina, e MDMA, derivado da anfetamina, conhecida com ecstasy. São ilegaís e não há teste antidoping até o presente.

 

Esteróides

Os esteróides anabolizantes são poderosas versões sintéticas do hormônio masculino testosterona. Têm seu uso clínico sob cuidadosa supervisão, como poderoso aliado na ativação da puberdade tardia, por desenvolver a atrofia muscular decorrente de cirurgias ou doenças e para proteger as células sanguíneas da rádio e quimioterapia. Na década de 50 os cientistas soviéticos usaram em seus atletas injeções de testosterona com o objetivo deles correrem mais rápido e saltarem mais alto e lançarem o disco e o dardo mais longe. Enfim, para sobressaírem-se em todas as competições de força. Os atletas russos entraram na arena mundial de competições esportivas com vantagem e domínio nas competiçoes de época. 

A contra-resposta foi americana, com uma forma sintética de testosterona, fácil de produzir e de preço reduzido, administrada em forma de drágea. Estava declarada a "guerra dos esportes", nos moldes da guerra fria de espionagem e contra-espionagem. São os manipuladores químicos 15 mg diários em 30 dias, a pressão do soco passa de 143 kilos para 177 kilos, o que normalmente ocorreria num período de tempo nunca inferior a seis meses de intenso exercícios.

Os esteróides de origem alemã são classificados como os melhres de todo o mundo.

Os esteróides constituem problemas mais grave do que a própria cocaína. Seu uso é epidêmico e o usuário participa de um jogo fatal apenas para obter melhor performance. Porém, o preço é altissimo. Custa uma vida humana.

 

Creatina

Aumenta a massa muscular, mas não é anabolizante. Melhora o rendimento nos treinos e competições e não aparece nos exames antidoping.O trifosfato de adenosina(ATP) existente na musculatura é a fonte energética natural, liberando-se ao requerer esforço. Quando esgotado, o organismo busca a glicose, o oxigênio e o lipídio como fonte. A creatina restabelece rapidamente o ATP, provocando seu aumento. Identicamente, a massa muscular aumenta, talvez por retenção hídrica. Efeito similar ao dos esteróides anabolizantes  ou por aumento da síntese proteica, sem ganho extralipídico.

A melhora da performance e da massa muscular torna a creatina isenta da longa lista de substâncias proibitivas do Comitê Olímpico Internacional. Creatina e vitaminas C não são consideradas substâncias doping. A creatina é um complexo natural produzido pelo fígado, pâncreas e rins. encontra-se também em vários organismos do reino animal, por exemplo, no peixe, assim como entre os vegetais. Industrialmente a creatina é apresentada em pó e em comprimidos de 20 g de uso diário. Usados em doses de ataque nos primeiros cinco dias, reduzindo a seguir para 3 g/ dia, com uma dose de manutenção durante 40 dias e, após, intervalo de dois meses.Desconhecem-se os efeitos colaterais, sabe-se apenas serem derivados dos aminoácidos arginina, glicina e metionina.

Cinquenta por cento dos jogadores da Liga Americana de Beisebol já utilizaram com sucesso, com a média de 5 kg de pura massa muscular em dois meses, sem qualquer acúmulo de gordura no corpo. Em estudos em animais a médio e longo prazos conota-se hipertensão renovascular. fato ainda não confirmado em humanos.Chevreul, na França em 1832, observou o efeito "bomba" da creatina e passou seus estudos para a posteridade. Até que em 1992, nas Olimpíadas de Barcelona, ocorreu o pool, principalmente por não estimular a produção de testosterona, tendo como mecanismo de ação a absorção de água pela célula.

 

Complicações do "doping"

Varios problemas mentais são atribuídos desde a depressão prolongada até os violentos acessos de ira:

  • Através da bioengenharia pelos esteróides, as pessoas ficam mais rápidas e fortes, assim como também mais bárbaras, é a "sindrome da vitória"ou "sindrome de Frankenstein".
  • Os esteróides anabolizantes são hepatocardiotóxicos e ainda responsáveis por danos urogenitais, como formação de cálculos renais e até tumores de bexiga, além da violência dos atletas.
  • Os estimulantes provocam "confusão de dependências e alucinações visuais".
  • As transfusões de sangue dão sobrecarga e redução do fluxo sanguíneo em certas áreas, causadas pelo aumento da viscosidade e acúmulo de ferro, e suas eventuais implicações parenquimatosas, hepáticas, renais cardíacas e endócrinas.
  • Paranóias, alucinações e tendências suicidas e maníacas.
  • Atrofias testiculares, ginecomastia bissexual, esterilidade, além de impotência.
  • Acidente vascular  cerebral.
  • Masculinidade irreversivel em mulheres, com crescimento de pêlos na face e outras disfunções, com voz mais grave e interrupção do fluxo menstrual.
  • Futilidade narcisista, este é o termo e a conotação mais precisa.

 

Exames "anti-doping"

  • Doping sanguineo - Os hormônios que provocam o crescimento humano, a inseminação artificial seguida de aborto e a substituição da urina fazem parte do esquema de alguns atletas para driblarem os testes e melhorar seu desempenho nos jogos. Algumas são inseminadas artificialmente antes de abortarem dois ou três meses depois, para tirarem proveito de um perceptível aumento de hormônios.
  • Outros introduzem em si próprios por cateter a urina isenta de drogas de outrem. Após uma lavagem para retirar o máximo de sua própria urina dopada. A urina "pura"é bombeada para a bexiga antes da competição, de modo que o atleta consiga passar a salvo pelo teste de drogas.O doping sanguíneo  é um processo pelo qual o atleta retira parte dos glóbulos vermelhos, os quais o corpo substitui naturalmente e, então, antes da competição, ele repõe o sangue retirado para proporcionar aos músculos uma dose extra de oxigênio.
  • Os examaes antidoping são caros e proporcionam facilidade de falsificação, além de exigirem laboratórios muito bem equipados, com tecnologia de ponta e de elevada especificidade.

Os jogos Olimpícos de Sidney, na Austrália, farão história como o primeiro em que serão realizados controles antidoping por exames de sangue. Mas os controles de sangue serão feitos em atletas voluntários. Com o controle do sangue o Comitê Olimpíco Internacional pretende combater o consumo de eritropoetina(Epo), que aumenta o número de glóbulos vermelhos no sangue e melhora a resistência e a recuperação do usuário.

 

Conclusão

Os esportes não tem compaixão, ja colheram e continuarão colhendo muitas vítimas.

Na União Soviética 290 atletas e treinadores foram punidos por usarem drogas entre 1986   e 1988.

A tocha olímpica e as nobres aspirações que ela representa têm sido sufocadas pela política, pelo comércio e agora pelo uso ílicito de drogas. A tocha olímpica já não arde mais como antes.

Meus sinceros agradecimentos pela permissão deste prestioso trabalho em prol do esporte brasileiro e mundial, bem como do Judô, ao qual divulgo esta matéria na integra: Dr. Tércio Tadeu Bezerra Cavalcanti, médico da Empresa Brasileira de Correios - Diretoria Regional de Pernambuco, Dr. Fernando Cantarelli, urgentista da Unimed, Olinda; Dr. José Alexandrino Neto - urgentista do Hospital Otávio de Freitas - Pernambuco, Dra. Rouseane Pinto - urgentista da Unidade de Saúde Torres Galvão -Paulista, Pernambuco e Dr. Ivan Trajano - consultor técnico em cinofilia.

Dr. Rônie Hamilton Aldrovandi - Cardiologista
Médico resp. 4º Delegacia Alta Paulista
clínica_aldrovandi@terra.com.br

 

1º DAN -FPJ
ASSOCIAÇÃO DE JUDÔ DE  BASTOS
BASTOS - SP


 

FPJ - Rua Airosa Galvão, 45 - Bairro Água Branca - CEP 05002070 - São Paulo - SP. - Fone / Fax: (11) 3862-0749 - 3673-0497

CAT - Centro de Aperfeiçoamento Técnico da FPJ R. Airosa Galvão, 45 - Água Branca - SP/Capital - Fone: (11) 3672-5649

© FPJ - Federação Paulista de Judô - Todos os direitos reservados

Designed by Maxdesign